Estilo de vida

Ter um filho nos EUA: uma decisão cada vez mais comum entre as brasileiras

By:

Cada mulher quer garantir o melhor futuro para seu filho, uma formação de qualidade, as melhores condições de vida. Quando a futura mãe decide ter o parto nos EUA, já está a fazer os primeiros passos para atingir estes objetivos tão importantes. Uma atmosfera agradável durante o período pré-parto, a mestria dos médicos americanos, bem como nosso apoio discreto, mas insubstituível, irá ajudá-la a ter um bebê forte e saudável. Também é importante que desde o primeiro momento de vida seu filho seja cidadão de dois grandes países: Brasil e Estados Unidos da América.

Existem agências em Miami, por exemplo, que oferecem “pacotes de partos” para brasileiras que queiram ter seus filhos na Flórida e voltarem com o passaporte americano dos pequenos nas mãos, já que a Constituição Americana garante esse direito a qualquer indivíduo que nascer em seu território.

Uma dessas agências foi fundada por dois médicos brasileiros.

É importante ressaltar que os médicos são licenciados para atuarem nos Estados Unidos e garantem todo o acompanhamento pré-natal e pós-parto.

Para as brasileiras que optem pelo sistema de saúde dos EUA , aí vão algumas curiosidades:

No quesito “segurança”, tanto a mãe quanto o bebê recebem uma pulseira com um chip. Caso o bebe se aproximasse de outra mãe (isto é, com um chip diferente) o chip irá disparar um alarme. Se por algum motivo o bebê saia da área de controle da maternidade, um alarme será disparado, os elevadores do andar da maternidade param e a segurança do hospital é acionada. Parece inacreditável, mas é real!

Quando falamos de alimentação no hospital, diferente do Brasil, as enfermeiras não são responsáveis em trazer refeições. As mães e pais são levam a própria alimentação. É comum ter frigobar no quarto para armazenar os alimentos trazidos de casa, como: iogurte e suco, por exemplo. Existe também a possibilidade de utilizar o restaurante do hospital caso queira solicitar refeição no quarto.

Uma das vantagens é que quando seu filho atingir a maioridade, 21 anos completos, poderá solicitar permissão de residência ou cidadania para os pais ou outros familiares. Bacana, não?
A decisão de “dar à luz” nos EUA hoje não é só o desejo de ter um filho saudável num ambiente confortável, rodeada de médicos e enfermeiras experientes. É um investimento inteligente no futuro livre e promissor do seu filho!

Quer saber se você se qualifica para imigração?
Deixe um de nossos especialistas ajudá-lo.

Clique aqui
Tags:

nascer nos EUA, morar nos EUA, parto nos EUA, imigração, filho no exterior, cidadania americana