Imigração

Dicas para quem quer imigrar para os EUA

By:

Decidiu mudar para o exterior? Será que é a melhor opção? O Brasil que conhecemos hoje passa longe em ser um lugar aprazível para viver, para trabalhar ou criar os filhos. Nos últimos anos milhares de brasileiros têm imigrado para os Estado Unidos fugindo da violência, do desemprego, da economia instável e falta de políticas públicas efetivas.  Porém a realidade americana não é fácil também, será um desafio sobressair em um mercado extremamente competitivo. Por conta disso, possuir alguns diferenciais como especializações, pós-graduações além de bom domínio da língua inglesa, são alguns requisitos que farão a diferença.

Existem profissões nos EUA que não possuem muita demanda, motivo pelo qual se deve sempre pesquisar muito para não entrar em uma empreitada malsucedida. Alguns sites fornecem várias informações sobre as principais profissões nos EUA com mais carência de pessoal.

Outra dúvida que surge é sobre salário. Muitos brasileiros imaginam que irão ganhar rios de dinheiro quando na verdade a realidade é outra. Nos EUA o salário é calculado por hora de trabalho. O valor mínimo definido para cada hora trabalhada aumentou para até de US$ 15,00 dependendo do estado, segundo a www.afp.com. Entretanto, mesmo com esse aumento, o salário mínimo federal, permaneceu em 7,25 dólares no momento, sem alteração desde 2009.

O salário mínimo federal nos EUA sofre aumento todos os anos, mas muda de valor de estado para estado. Profissionais da área médica são os mais valorizados nos EUA. Um cardiologista ganha em média cerca de 30 mil dólares por mês. Outras áreas médicas como instrumentadores, ortopedistas, cirurgiões, psiquiatras também recebem salários mais altos (acima de 18 mil dólares).

Os profissionais que trabalham com TI ou engenharia de software nos EUA também ganham um salário acima da média. As companhias de TI pagam cerca de 15 mil dólares por mês para esse tipo de  profissional.

Existem também carreiras com salários mais baixos nos Estados Unidos e apesar dos valores dos salários serem menores, ainda ficam acima das remunerações pagas no Brasil. Algumas das profissões com salários mais baixos nos EUA são: lavador de pratos (U$1.696), cozinheiro de fastfood (U$1.634/mês), garçom (U$1.642), auxiliar de salão de beleza (U$ 1.695), recepcionista de restaurante (U$1.710) e auxiliar de barman (U$ 1.783).

Nos últimos tempos, entretanto, o número de brasileiros mais qualificados que imigraram para os EUA aumentou. O empecilho maior é quando o brasileiro tenta validar o diploma nos Estados Unidos - é um processo dispendioso que leva tempo e não é tão simples – então a maioria dos brasileiros preferem o empreendedorismo.

O governo dos Estados Unidos possui um programa para empresários que optem por investir em negócios em solo americano. O SelectUSA (www.selectusa.gov/welcome) foi criado na gestão do Presidente Obama e é uma iniciativa do governo dos EUA para estimular, viabilizar e acelerar o investimento de empresas nos Estados Unidos, nacionais e estrangeiras, com intenção de impulsionar o crescimento econômico e geração de empregos.

Atualmente existem muitas oportunidades de trabalho nos EUA para brasileiros que querem empreender ou simplesmente trabalhar em busca de uma vida melhor. Abaixo listamos algumas dicas que podem ajudar:

1 – Domínio da língua Inglesa

Ter conhecimento da língua Inglesa é essencial. Imigrar para os EUA sem saber falar a língua não é bom negócio. O ideal é que você faça um curso de inglês e adquira ao menos conhecimentos básicos de conversação, escrita e leitura. É o mínimo para você conseguir se comunicar e não enfrentar situações desagradáveis em solo americano.

2 – Faça um currículo em inglês

Para conquistar uma boa proposta de trabalho nos EUA, o primeiro passo é preparar um currículo no formato americano. Existem vários modelos de currículo que você pode encontrar na internet, faça sua pesquisa e escolha o que melhor lhe convier. O documento deve conter  Informações Pessoais (Personal Information), Resumo Pessoal (Resume),  Experiência Profissional (Professional Experience), Formação Acadêmica (Qualifications Summary), Idiomas, Informática e Conhecimentos Específicos (Languages and Key skills) e  Referências Pessoais (References).    

3 – Faça a imigração legalmente

É imprescindível que você ingresse legalmente aos EUA. No momento atual, é condição de suma importância principalmente com Donald Trump na presidência. Houve um endurecimento nas leis de imigração no país e quem viaja para os EUA ilegalmente corre o risco de ser deportado e impedido de trabalhar.

Prepare-se para enfrentar mais burocracia na emissão do visto de trabalho. Somente a mão-de-obra altamente qualificada não sofrerá as sanções de imigração impostas pelo novo governo.

4 – Use a internet

Use a internet como sua aliada na procura de oportunidades de trabalho. Listamos abaixo os principais sites de emprego dos EUA:

Monster

CareerBuilder

SimplyHired

Dice

Media Bistro

GlassDoor

5 - Avalie as oportunidades de trabalho

Via de regra, o diploma brasileiro não é válido no EUA. É necessário encontrar uma instituição (WES) que faça a validação do seu diploma no país para conseguir trabalho na sua área de formação. Esse processo é demorado e envolve uma análise criteriosa, além de necessitar de vários documentos do país de origem.

6 – Indicação de amigos é sempre benvinda

A Flórida, principalmente em Miami, concentra uma enorme comunidade de brasileiros, consequentemente, não será difícil encontrar ou fazer amigos no país. Indicações de pessoas conhecidas para trabalhos são sempre benvindas. Nada melhor do que fazer sua “network” trabalhar por você.

7 – Pesquisar as áreas com mais demanda

Pesquise as áreas de trabalho mais favoráveis e promissoras nos EUA, uma vez que elas sempre propiciam mais vagas de emprego. Os cargos relacionados à área de TI (tecnologia da informação), engenheiro de sistemas, analista de infraestrutura e analista de segurança lideram o ranking das profissões com mais oportunidades.

Além da área de TI, existem outras que contratam brasileiros. A lista engloba RH, Área Tributária, Marketing, Turismo, Engenharia e Arquitetura, Psiquiatria, Enfermagem, Engenharia Mecânica e Automação e Mercado Financeiro.

8 – Cidades com mercado de trabalho em ascensão

Flórida e New Jersey são os estados americanos com a maior concentração de brasileiros. Existe uma demanda crescente de trabalho nessas cidades além de outras localidades onde o trabalho está em franca ascensão. A oferta de emprego vem continuamente crescendo nas cidades de Denver (Colorado), Raleign (Carolina do Norte), Portland (Oregon), Atlanta (Georgia), Seattle (Washington), Provo (Utah).

Os brasileiros que planejam encontrar trabalho na Flórida devem procurar nas cidades com mercado de trabalho mais aquecido. Algumas delas: Naples, Orlando, Fort Launderdale, Cape Coral, Ocala e Deltona.

9 – Faça um curso nos Estados Unidos

Fazer um curso nos Estados Unidos aumenta as chances de conseguir emprego. Por isso muitos brasileiros resolvem cursar uma especialização ou mestrado em território norte-americano. Com o diploma em mãos, fica mais fácil encontrar trabalho, sobretudo nas áreas de indústria, pesquisa e desenvolvimento.

10 – Seja empreendedor

Ter espírito empreendedor é uma característica muito valorizada pelas empresas americanas. Além disso, o gosto por empreender pode ajudar o estrangeiro a se mudar para os Estados Unidos e abrir uma empresa por lá. Quando o negócio tiver mais de dois anos de existência, o empresário pode dar entrada no seu Green card (documento que garante ao imigrante o direito de residir e trabalhar permanentemente nos EUA).

Sempre que tiver alguma dúvida de como funciona o processo de imigração e visto, procure sempre a ajuda de um advogado especialista em questões de imigração no Brasil ou consulte nosso site www.investusa360.com/pt/.  

Quer saber se você se qualifica para imigração?
Deixe um de nossos especialistas ajudá-lo.

Clique aqui
Tags:

imigração, morar nos EUA, viver nos EUA, quero morar nos Estados Unidos, processo de imigração, greencard